Protocolo Bluehand: Alienígenas

Logo depois desse Natal, numa manhã de inverno fora de época, eis que chega aqui em casa o meu exemplar do Protocolo Bluehand (#PBha), livro escrito por Eduardo Spohr (A Batalha do Apocalipse) e pela dupla do site Jovem Nerd, Alottoni e Azaghal. Num primeiro momento resolvi não comprar e esperar um pouco, não sou um comprador compulsivo, mas depois dessa entrevista aqui e a vontade de possuir pela primeira vez na vida a primeira edição de um livro com tiragem baixa, aliada ao tema que muito me interessa (e me preocupa), foi mais forte que a minha vontade. Posso afirmar com segurança que o livro superou todas as minhas expectativas e que é um trabalho primoroso, tanto na apresentação gráfica quanto no conteúdo. Fascinante.

Num primeiro momento fiquei insatisfeito com o tamanho do livro. Medindo 18 cm de altura por 15 cm de comprimento, me pareceu pequeno demais. Comparado aos tijolos que li ultimamente, calhamaços de 600 a 1000 páginas, o livro não me pareceu verdadeiramente um livro. Isso, entretanto, mudou conforme comecei a ler. O tamanho mostra-se muito confortável para a leitura, o que, em conjunto com as inúmeras ilustrações e citações, deixa o livro mais dinâmico. Além disso, por se tratar de um guia dividido em tópicos que não são extensos, em diversas vezes li algumas páginas, dei uma pausa de alguns minutos e depois retornei à empreitada. O resultado foi que em poucas horas já havia consumido quase um terço da obra.

A apresentação impecável já começa pela capa, com um alto relevo que simula um musgo ou algo do tipo. É só folhear algumas páginas pra perceber que o livro foi pensado nos mínimos detalhes. A gramatura do papel é extremamente boa, não parece uma folha sulfite ou algo do tipo. As páginas não são amareladas – são brancas. Mas não é um branco qualquer. Com esse livro eu percebi que o editor pode sim mudar a experiência de leitura do leitor – e isso é feito magistralmente no #PBha. As páginas são sujas e rabiscadas, velhas e manchadas de marcas de café – o que as tornam lindas. Sério. A qualidade é tamanha que não raro passei o dedo nas páginas pra ver se não estavam de fato amassadas ou sujas. Você literalmente se sente num universo pós-apocalíptico só por folhear as mesmas.

Os rabiscos e textos marcados e circulados dão a impressão de que o livro foi passado de mão em mão e que você recebeu uma edição comentada, estudada e revisada pelo próprio Bluehand, um ser agora místico. Em algumas páginas há documentos anexados, e a folha impressa imita uma página grampeada ou então unida por um clips. Como não podia faltar, há ainda algumas menções à alguns Nerdcasts (“Meu objetivo é a conquistaaaaaaa”). Sinceramente, acho que nunca tinha visto algo assim na minha vida.

Mas é claro que a qualidade do livro não é evidenciada apenas por aspectos gráficos, o conteúdo também tem de ser impressionante – e é.  O tom utilizado está perfeito, e Spohr mescla com maestria fatos sérios, teorias da conspiração, citações de ufólogos e casos tupiniquins como o ET Bilu. O resultado é um livro que clama pra ser lido. O corpo do texto possui ainda um humor leve e algumas vezes irônico que te faz dar aquela risada de canto de lábio. Não há do que reclamar.

Os títulos e subtítulos são outro capítulo a parte: escritos em caixa alta com uma intensidade mais forte ora numa letra e ora noutra, as palavras remetem imediatamente à uma máquina datilográfica – uma das poucas maneiras de se escrever um guia num mundo pós-apocalíptico, acredito eu. As ilustrações também merecem destaque. Presentes em diversas páginas e com tamanhos variados, são todas em preto e branco e parecem esboços feitos a lápis, outro ponto que incrementa a experiência de leitura, e são ótimas maneiras de complementar ou exemplificar o que foi escrito no livro.

As diversas citações ao longo do livro me agradaram muito – e olha que foram várias. E das mais diversas: Star Wars, Jornada nas Estrelas, Guia do Mochileiro das Galáxias, ET Bilu, Indiana Jones, Albert Einstein, Arnold Schwarzenegger, casos reais entre outros. Além de complementar a história, evidenciam o embasamento – por vezes não tão científico – que o livro teve. Além é claro de ser uma fonte de humor – “Busquem conhecimento!”.

O livro de 336 páginas é dividido em 6 capítulos e 2 apêndices. São eles:

  1. Conhecendo o inimigo;
  2. Modus operandi;
  3. Como combatê-los?;
  4. Contato;
  5. Invasão;
  6. Vitória;
  7. Os ETs e a Sociedade Humana;
  8. Obras recomendadas.

Cada capítulo, por sua vez, é subdividido em tópicos, como espécies alienígenas e precauções básicas, por exemplo. O livro parece muito um manual de RPG, com classes, armamentos, motivações e atitudes, vantagens e desvantagens – tudo aquilo que você espera de um guia definitivo conta a ameaça extraterrestre. Numa das orelhas do livro os autores colocam:

Se o conteúdo deste livro o deixar paranoico e exageradamente psicótico também, saiba que você está no caminho certo.

Acho que eles conseguiram – todo o livro converge para essa reação. É a combinação dos elementos gráficos, das ilustrações, citações e do texto em si. Protocolo Bluehand entrou na minha estante muito mais devido a um impulso consumista do que pela vontade de ler o livro em si. Mas posso dizer que mudei de opinião e o livro tornou-se rapidamente um dos mais queridos da minha coleção.  Agora é só esperar pelo segundo volume: Zumbis! Mal posso esperar.

P.S.: Pra quem não me conhece, ETs são seres que me causam um medo mortal – só de ver um ET em um filme já fico amedrontado. Na verdade eu sempre fujo de qualquer filme ou série que envolva ETs – Distrito 9, embora seja um bom filme, foi uma experiência traumatizante.  Quem sabe agora eu já esteja preparado.

Mais informações sobre o livro, autores, além de um sample de 20 páginas podem ser encontradas aqui.

Vale a pena conferir ainda esse #NerdOffice aqui. Infelizmente o livro já está indisponível, mas vamos torcer pra uma nova edição saia o quanto antes. Meu ultimato: vale a pena, seja você um fã ou não do Jovem Nerd.

Anúncios

2 comentários sobre “Protocolo Bluehand: Alienígenas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s