Por que comprei um Kindle

Eu gosto de ler. Sério mesmo, adoro. Eu gosto de comprar livros, sentir a textura da capa, analisar o trabalho gráfico, sentir o papel, cheirar o livro e por aí vai. Sei que é coisa de maluco, mas descobri que tem muito maluco como eu. Passar um dia inteiro numa livraria não é uma tarefa difícil pra mim.

Eu sempre ando com algo pra ler na mochila. Eu gosto tanto de ler que até apreciava congestionamentos pra poder aproveitar mais dos livros enquanto lia nos ônibus. Eu já andei com verdadeiros tijolos (oi Torre Negra! oi Senhor dos Anéis! oi Xógum! oi Harry Potter!) e muitas vezes saía de casa carregando dois livros quando via que iria acabar um no percurso.

Pois bem, recentemente comecei a ler livros em inglês (maldito vício em Game of Thrones!) e, muito embora conseguisse entender bem a história, tinha dificuldades em inúmeras palavras, e o processo de levantar da cama e acessar o Cambridge Dictionary e aí então descobrir o significado do termo e depois voltar a ler, sendo que muitas vezes tinha que repetir esse processo na próxima linha, não me agradou muito. Deixei o vocabulário de lado e segui a leitura, doido pra acabar o quanto antes. Com isso eu imagino que perdi muitos detalhes e que vou descobrir muita coisa quando reler o 3º, 4º e 5º livros.

E o que isso tem a ver com o Kindle? Então… no ano passado tinha conhecido duas pessoas que tinham um Kindle de terceira geração e pude mexer pela primeira vez no aparelho. Sabe aquele papo que o e-ink parece papel real? Pois bem, é verdade. Parecia que era impresso em uma folha de papel vegetal. Bem impressionante. Mas só isso não era o suficiente – se era só parecido com papel, vou ficar com o papel normal, não é?

Dicionário no KindleMas o Kindle tem uma coisa que iria resolver facilmente um dos meus grandes problemas: o dicionário integrado. É a melhor coisa do mundo pra quem tá lendo em inglês – é só selecionar a palavra com um direcional que tem na parte inferior e ele já te mostra uma definição rápida da palavra; se você quiser mais informações ele te dá essa opção também. Uma coisa bem prática.

Mas isso tudo um iPad faz também – cadê a vantagem do Kindle?

  • Primeiro, o e-ink: realmente é muito confortável de ler, mesmo com o sol batendo direto.
  • Segundo, não é um tablet: eu não leria 1/10 do que leio agora se eu ficasse recebendo notificações e podendo mudar para o twitter ou facebook quando eu quisesse; eu quero ler, e é isso que eu faço.
  • Terceiro, preço: É muito mais barato que um iPad, mesmo comprando no Mercado Livre, deve estar saindo mais ou menos por 1/3 do preço. Isso ajuda na hora de ler no ônibus. Por exemplo: eu não teria coragem de tirar um iPad da mochila pra ler; com o Kindle é mais tranquilo, ele chama menos atenção, quase ninguém conhece.
  • Quarto, portabilidade: fica bem estranho, mas você consegue até colocar no bolso da calça.
  • Quinto, bateria: eu usei direto por quase um mês e ele só carrega enquanto fico passando conteúdo via USB, e ainda não consegui acabar a carga. O wi-fi fica desligado 99% do tempo, diga-se de passagem.

Acho que essas são as vantagens principais, pelo menos as que mais me motivaram a comprá-lo. Depois, usando, eu descobri outras coisas que são bem interessantes e que adicionam valor; podem até soar idiotas, mas eu curto demais. Por exemplo, tu vai ler de noite embaixo das cobertas: não precisar ficar segurando uma página pra ela não fechar sobre a que você está lendo é BEM útil, principalmente se o livro for gigante – só segurar o Kindle com uma mão, apertar o botão de mudar de página e deu, simples assim.

Kindle 4

Outra coisa que eu adoro é uma pequena “barra de progresso de leitura”, vamos chamar assim por falta de outro nome, que te mostra quantos % do livro você já completou. Não sei se é idiotice, mas acho que incentiva bastante a ler, como se você fosse completando metas ou algo do tipo; ou então você pensa “ah, falta só 20%, vou acabar isso hoje!”, mesmo que 20% seja mais de 200 páginas… Além disso a “barra” é dividida em pequenos pontos que mostram quando o próximo capítulo vai iniciar. Eu tenho uma mania chata de, antes de começar a ler o capítulo, folhar até o próximo pra ter uma noção de quanto tempo vou levar – já me arrependi várias vezes por descobrir coisas antes da hora… Mas aqui é bem simples, só olhar e pronto. E o fato de não te dizer quantas páginas o capítulo tem, e sim ser uma representação gráfica, é algo que diminui barreiras e te incentiva a começar um novo capítulo; você é indiferente se ele tem 8, 15 ou 30 páginas.

Mais um ponto positivo é você poder mandar mandar artigos da web para o Kindle via USB ou por Wi-Fi (eu uso o Readability e o Instapaper). Nem sempre chega perfeito, mas funciona muito bem. Dá de ler PDF’s também, mas não é uma experiência muito agradável: ele se ajusta ao tamanho da dela e muitas vezes isso deixa as letras bem pequenas. Você até pode dar um zoom e tudo mais, mas fica bem complicado de navegar. Se você quer ler muitos PDF’s com coisas da faculdade, acho que um iPad deve te servir melhor.

Mas como eu disse lá no início, eu adoro livros, e aí que está meu maior problema com o livro digital, bem aonde também está a maior vantagem: é digital. Eu sei que é muito fácil de comprar – coisa de um minuto e pronto, pode começar a ler. Mas eu gosto de TER o livro, na real eu acho que eu PRECISO ter o livro, e só um monte de bytes não me serve. Ao contrário de muitos viciados em livros, eu adoro poder emprestar o que eu tenho, por que é muito chato adorar um livro e praticamente só ter seu irmão mais velho pra discutir sobre ele (nada contra suas opiniões, Filipe!).

Quero um desses hoje!

Além disso, tem a Estante. Não é só um móvel em que você deixa seus livros, é a representação física de seus gostos. E não existe estante virtual que faça isso. Quantas vezes, só de olhar, não peguei um livro só pra analisar a capa e acabei lendo o livro inteiro? Acho que tudo que envolve coleção não pode ser digital. E dá um certo orgulho ver sua estante crescendo…

Então, que merda, tu compra o E-Reader e não quer comprar ebook? Mais ou menos isso. Vou passar a comprar e consumir muito mais livros em inglês, mas os nacionais acho difícil, já que são poucos e caros. Talvez o formato de venda precise mudar e que exista a opção de venda casada (físico + digital). É claro que no Brasil tudo é mais difícil, mas quem sabe um dia.

Mas, vou ser sincero, não pensei que fosse gostar tanto do Kindle. Acho que foi uma das melhores compras da vida, tão impactante quanto o primeiro iPod. E mesmo se você não quiser comprar o e-book, assim como filmes e músicas, tem muito torrent por aí com vários livros; é mais difícil de achar, mas tem. Dá pra ser um pirata letrado, por assim dizer, se você quiser.

Eu ainda adoro livros e vou continuar comprando de qualquer maneira. Acho o ebook uma maneira diferente de consumir conteúdo: em determinadas coisas é melhor que o livro, em outras é igual e em outras é pior. Mas se você gosta de ler bastante, o Kindle é algo que você definitivamente deve ficar de olho.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s