Por que comprei um Kindle

Eu gosto de ler. Sério mesmo, adoro. Eu gosto de comprar livros, sentir a textura da capa, analisar o trabalho gráfico, sentir o papel, cheirar o livro e por aí vai. Sei que é coisa de maluco, mas descobri que tem muito maluco como eu. Passar um dia inteiro numa livraria não é uma tarefa difícil pra mim. Continuar lendo

Anúncios

Readability: Read Comfortably – Anytime, Anywhere.

Ultimamente descobri que sou um grande entusiasta em tecnologia. Descobri que gadgets, como iPads e Kindles despertam e muito a minha atenção e são assuntos que me entretém no meu tempo livre. Essa semana, entretanto, fiquei surpreso ao descobrir um software que me fez ter aquele efeito meio Apple: algo que você passou sem uma vida inteira que, após um ou dois dias, torna-se indispensável. Estou falando do Readability.

Esse programa/site/app/serviço faz algo bem simples: sabe quando você entra numa página que é toda poluída por anúncios, ou então o texto é muito pequeno de ler? Então, o Readability pega texto principal e coloca-o numa, digamos assim, nova página, com uma formatação muito mais agradável para a leitura. Ainda há outras opções caso você não goste da padrão. A principal vantagem disso é manter o seu foco no que interessa: o texto, haja vista que não há um anúncio chato piscando ali do lado nem nada disso, tornando assim a leitura mais rápida e ajudando a você reter mais informação.

Outra funcionalidade interessante é você poder salvar os artigos que você leu na sua conta do Readability, assim fica mais fácil procurar aquele texto que você leu semana passada – é só digitar alguma palavra chave e pronto. Além do mais, você pode favoritar um texto e esse fica numa categoria distinta para procura, da mesma maneira que funciona no GMail e no GReader.

O maior atrativo, porém, e o que eu mais uso, é o “Read Later”. Assim como todo o resto, é bem simples: você abre o texto que quer ler e clica num plugin no seu navegador e seleciona a opção “Read Later”. Pronto. O texto é salvo na sua conta e pronto pra ser lido quando você quiser, no computador que você estiver. Esse recurso tornou-se muito importante pra mim, já que eu assino os feeds de apenas alguns poucos sites e blogs, e resolvi cancelar a assinatura daqueles que postavam demasiadamente durante o dia. Agora ficou muito mais simples: eu entro em algum determinado site e se acho algo interessante e não tenho como ler na hora, mando direto no “Read Later” e deixo salvo pra ler em outro momento. Simples assim. Dessa forma eu nunca mais deixei de ler um texto simplesmente por esquecer de voltar ao site ou algo do tipo – fica tudo lá, salvadinho.

Mas é claro que ele não faz só isso: você pode também enviar esses textos para um Kindle, também com um simples click do mouse, e ler no conforto da sua poltrona – vale ressaltar que essa funcionalidade aumentou – e MUITO – a minha vontade de comprar um Kindle. Fico até pensando: antes de sair de casa marco todas as notícias que ainda quero ler e mando tudo pro Kindle e vou lendo dentro do ônibus. Que maravilha. Sem gastar com internet ou se preocupar com o sinal 3G.

Outro recurso é você poder mandar links do que você quiser ler por email – o que é bem interessante se você estiver em computadores públicos. Você só precisa colar os links no corpo do email e mandar para o seu endereço de email que o Readability te fornece e pronto, fica tudo salvado. (tipo, eu não tinha testado ainda e literalmente acabei de fazer o teste e funciona, awesome.)

O Readability é um produto focado em pessoas que gostam de ler, principalmente na internet. Além disso, é uma maneira bacana de organizar aquilo que você quer consumir online sem poluir os seus favoritos. Eu não havia mencionado ainda, mas compartilhar esses textos também é muito fácil, coisa de 2 clicks. Posso dizer que esse é um app que eu nunca mais vou deixar de usar – a partir dele eu comecei a ler mais e prestar mais atenção no que realmente importa na internet. Pelo que me falaram existem outros apps do tipo por aí, como o Instapaper, mas esse eu nunca usei então não posso falar nada. Readability eu uso, aprovo e recomendo. Vale a pena dar uma chance.

Você pode aprender mais e encontrar o Readability aqui!

[TECH] Guia Santo Bacon para compra de Smartphones!

Olá pessoal! Muitos dos meus 4 leitores estão cheios da grana e decidiram comprar um smartphone nesse Natal. Por esse motivo, decidi escrever esse nobre guia para auxiliá-los a escolher o aparelho perfeito nesse mundo de ofertas. Está em duvida entre iOS, Android, Windows Phone, BlackBerry e Symbian? Esse texto é pra você!

Apple iPhone 4S

Se você ainda não tem um smartphone e está decidido a comprar um iPhone, então gaste seus dois mil reais e seja feliz, afinal, quem é que gosta de comprar coisa velha, não? Eu acho que não vale. Se você tem o iPhone 4, continue com ele. A experiência continua a mesma – você só ganha um celular mais veloz e uma bela câmera. E a Siri? Por enquanto, nada de PT-BR – e eu não ficaria tão otimista assim, não somos lá o mercado mais prioritário pra Apple, sabe? Vale o investimento? Não. Continuar lendo

[TECH] Wish List 2011!

Hoje eu fiz uma listinha dos gadgets que saíram nesse ano e que eu gostaria de ter. Pensei logo em quatro categorias: Notebook, Tablet, Smartphone e E-Reader. O resultado foi interessante – cada um deles difere do outro com relação à marca, design, sistema operacional e preço. Abaixo segue a lista e a razão de esses produtos valerem esse bacon todo.

Notebook

Apple MacBook Air 13,3″. 

Por que vale um bacon: Se eu falar que é pelo design você pode me chamar de viado. Se eu falar que é pelo peso você pode me chamar de fracote. Se eu falar que é pelo sistema operacional você pode me chamar de macfag. É difícil dizer o que mais me chamou atenção no Air, possivelmente a leveza e a velocidade do sistema nesses SSD’s. E vou dizer que realmente sou fã do Mac OS X. Eu posso passar horas fazendo aqueles gestos no touchpad, só pelo simples prazer de ver ele funcionar. Para o que eu uso – internet, edição de textos, vídeos – o Air é simplesmente perfeito. É claro que 256gb de HD não é lá grandes coisa, mas é algo que eu relevo. Continuar lendo

[TECH] O mundo de Tony Stark está mais próximo do que você imagina.

Eu já disse aqui antes o quão entusiasta eu sou por tecnologia e nessa semana eu tive alguns pensamentos que me deixaram meio doidos. A gente sempre imagina quão interessante vai ser o futuro, quais serão as novas tecnologias e como nós viveremos com ela. Muitos vídeos tentam nos dar um preview de como esse mundo será. Vou colocar dois links aqui, um sobre a visão da Microsoft e outro onde o vidro faz toda a diferença.

Mas a minha visão de futuro é talvez um pouco diferente e pra tentar explicá-la vou falar um pouco de Tony Stark. Não, não acho que todos nós teremos uma armadura de ferro com poder nuclear e seremos defensores do mundo (ou então simplesmente vamos voando para a faculdade ao invés de pegar ônibus), mas de algo que sempre me chamou muita atenção nos filmes e que eu sonho que um dia vire realidade – e eu acho que esta realidade já está se modelando. O vídeo não é dos melhores, mas mostra bem o que quero passar:

Continuar lendo

[TECH] A melhor estratégia pra atrair desenvolvedores é da Microsoft

Eu não disse que a Microsoft tá com tudo nesse ano? Pois bem, tá aí mais um belo exemplo.

Vou reproduzir aqui a matéria que vi na Exame:

Microsoft usa bacon para recrutar desenvolvedores

São Paulo – A Microsoft escolheu uma estratégia inusitada para recrutar novos desenvolvedores para o Kinect, sua mais recente aposta em videogames. A empresa decidiu oferecer nada menos que fatias de bacon tostadas e suculentas para atrair a atenção de alguns dos profissionais das concorrentes Amazon e Google.

Segundo matéria do Seattle Times, a ideia partiu da agência de publicidade Wexley School for Girls. A ação teve como tema “Wake up and smell the future” (“acorde e sinta o cheiro do futuro”, em tradução direta).

A campanha contou com uma churrasqueira pilotada por promoters da empresa diante dos escritórios da Amazon e da Google, que serviram aos visitantes pedaços generosos do aperitivo.

A ideia da Microsoft é dobrar seu time de densenvolvedores do Kinect para Windows de 35 para 70 pessoas. A Microsoft confirmou, por meio de post em seu blog oficial, que a tecnologia do Kinect, o sensor de movimento do videogame Xbox 360, será otimizada para PCs na forma de um hardware especial.

Hahaha, demais! Só coloquei aqui porque achei que era a cara do Blog =]

A diferenciação é não diferenciar-se

Se teve algo mais falado que o Ice Cream Sandwich nos últimos dias no universo Android, esse algo foi a fragmentação. Esse é o maior desafio que o Google enfrenta com a plataforma, por um motivo simples: a fragmentação não é amiga dos desenvolvedores. E são os apps que comandam as plataformas.

Numa entrevista ao Engadget*, o CEO da Nokia Stephen Elop comenta sobre a fragmentação e customização do Android. Seu ponto de vista foi óbvio: totalmente contra. Seus argumentos fazem sentido: toda vez que você usa um Android diferente você precisa re-aprender a utilizar certas ferramentas. Além disso, as customizações não ajudam a fortalecer a marca Android, fornecendo uma experiência de usuário única e consistente. As empresas tentam valorizar tanto o Android quanto a sua customização, o que é conflitante na cabeça do usuário – “tá, eu to usando um Android ou um Motoblur? Porque o meu Android é diferente daquele do meu vizinho?”.

Pra dizer a verdade, as customizações não fazem o menor sentido. As mudanças aplicadas geralmente são para pior. Outro ponto importante é que essa vontade maníaca de customizar atrasa as atualizações de dispositivos – quando elas ocorrem, btw. Eu não consigo ver isso como uma vantagem competitiva a longo prazo e é um ponto sempre abordado pelos sites especializados, formadores de opinião.

A grande sacada, o que realmente diferenciará uma empresa de outra nesse mercado, é não se diferenciar-se. Pelo menos nas customizações. Se a Motorola desistisse do seu Motoblur (ou sei lá como é o atual nome dessa merda) e focasse em hardware e alguns apps exclusivos, será que não venderia mais? Eu aposto que sim. Olhe o Droid RAZR, por exemplo, um hardware fantástico, mas um smartphone que já nasceu velho. Focando no hardware, nas vantagens exclusivas e não nas customizações parece ser o caminho certo.

Essa é a estratégia adotada pelas fabricantes de aparelhos com Windows Phone – diferenciar-se no que realmente importa, trazendo vantagens reais aos consumidores, mantendo um ecossistema único e propício ao desenvolvimento de aplicativos. A Nokia por exemplo, conseguiu diferenciar-se de todas as outras fabricantes apenas com hardware e apps exclusivos. Será que isso é muito difícil de ser atingido pelas empresas? Ultimamente parece que tivemos a corrida da finura, pra ver que empresa apresentava o aparelho mais fino do mercado. Isso realmente é um grande diferencial competitivo? Porque o iPhone ainda é grossinho e vende feito água e, além disso, o Nokia Lumia 800 é mais grosso que a média mas causa suspiros – tanto em reviewers quanto em consumidores.

Mas aí você me diz: “mas o Android já vendeu mais de 200 milhões de aparelhos”. Então porque é o Android o sistema operacional que mais causa preocupação nos desenvolvedores? O ICS é um ótimo sistema, talvez até melhor que o iOS – mas a maior dúvida é: como ele será nas mãos da Samsung ou da Motorola? Será essa Coca Cola toda que o TheVerge anunciou (nota 10)? Dúvido.

Meu ponto é: essa diferenciação adotada pelas empresas traz mais desvantagens do que benefícios aos consumidores. Focar no que nós queremos e iremos utilizar e que daremos mais valor (como uma atualização universal de dispositivos) faz muito mais sentido do que uma customização de interface. Se eu fosse comprar um Android, não é a customização que me chama atenção, mas o hardware, o design e a marca que carrega esse Android. A customização geralmente passa despercebida, parece até um presente – de grego.

Agora, será que vale um bacon?

Customizações: Mais atrapalham do que ajudam. Clientes não escolhem pela mais boa, mas sim pela menos pior. Não vale nem um vegan bacon.

*Você já pensou no tamanho que esse site possui??? Os caras entrevistaram um dos CEO’s mais importantes do mundo. Um site! Os tempos são realmente outros. Isso sim demonstra o poder que a Internet vai ter em nossas vidas – estamos vendo apenas o começo.